Segunda-feira, 26 de Julho de 2010

Interiores

A
'The sleep of reason produces monsters' de Francisco de Goya
    "The sleep of reason produces monsters"
                                     de Francisco de Goya



Sou uma procissão
de peregrinos do nada,
sem meta, sem Meca,
sem fé.
Caminhamos silenciosos,
tão silenciosos
que dá para ouvir os astros,
nossos (meus) olhos
fitos no abstrato,
vazios e alheios,
sem importar o caminho.
Penso:
tudo será o mesmo?
E ainda assim continuamos,
sem saber a força que empurra
todos os meus
átomos e células... zilhões...
E, para conter os impasses internos,
às vezes intransponíveis,
tento meditar, rezar,
me alhear mais,
mas algo tribal me contém,
por momentos,
e logo estou sem líder,
temo a revolta geral,
amotinamentos mais constantes...
Como controlar este estranho
que em mim habita?
E quando perder a razão
terei encontrado o caminho?


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:28
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Lu Rosario a 4 de Agosto de 2010 às 06:23
Existem perguntas que nunca terão respostas.

Saudades.
Beijão!


De M.Luísa Adães a 5 de Agosto de 2010 às 11:14
João

Não podes controlar o ser, que em ti habita.

E se perderes a razão, te esqueces de ti , de todos
e nunca chegas a saber, se encontraste o caminho.

Não interrogues o teu tempo,
Ele não te vai responder!...

Adorei teus versos, mas os senti, tal como te digo.
Lindos!!!

Beijos,

Maria Luísa




De chellot a 16 de Agosto de 2010 às 16:54
Difíceis questões, inexplicáveis respostas. Só caminhando pra saber.
Beijos doces.


De Lu Rosario a 26 de Agosto de 2010 às 04:06
Espero vc voltar ao meu blog, as portas estão sempre abertas para quem se ama...

...um beijão da menina do acarajé...rs


De M.Luísa Adães a 27 de Agosto de 2010 às 19:08
João

Te encontrei no google e te respondi, mas não vai chegar ao teu conhecimento, me parece, pois pertencem a mundos virtuais diferentes.

No entanto, me encantou tua presença e tuas belas
palavras ao meu poema "Venho de Longe"...

Sei que estás bem, tenho recebido teus emails.

Meu amigo, pouco escreves. Te tens aborrecido com o blogs? Te desinteressaste?

Eu acho natural que isso aconteça.

Eu fui à aventura para o google e me parece que já
fiz alguns amigos.
Não sei por quanto tempo vou ficar! Não sei!
Tenho estado fora, no mês de Agosto e ainda vou
continuar.

Espero que estejas bem e escreve sempre.

Beijos da amiga,

Mª. Luísa


De M.Luísa Adães a 26 de Setembro de 2010 às 12:58
João

Que se passa contigo? Aborrecido de teus versos?

Mas eles são lindos...que pedes mais?

Mereces muito mais eu sei! Mas este tempo a passar, é o tempo errado, para o verdadeiro poeta.

Eu sinto o mesmo. Ando por aqui e por ali e pouco
encontro.
Continuo no google. Vou continuar, por enquanto...

Vou escrever versos da minha "Arrábida" (já comecei)
no sapo - não o quero abandonar.

Escrevo nos prémios em prosa - nunca apareceste a dar um olhar!
Mas apesar de tudo, continuo a esperar!

Bºs. Mª. Luísa


De M.Luísa Adães a 12 de Outubro de 2010 às 10:26
Caminhemos silenciosos
sempre silenciosos,
escutemos nos amigos
e o silêncio dos amigos,
e continuemos,
a caminhar...

Maria Luísa



De M.Luísa Adães a 20 de Outubro de 2010 às 15:21
joão

Não duvido mais!

Deixaste teus poemas
ou apenas a Net?

Fugiste? Muitas vezes, há lugare donde se deve fugir
esquecer e não voltar.

Eu ainda não encontrei , essa coragem - mas caminho
rápido para lá!...

Beijos e obrigada por chegares aos 7degraus, de
quando em quando.

Maria Luísa


De Lu Rosario a 22 de Outubro de 2010 às 15:00
Não esqueci de voce... e passei aqui para dizer que sinto saudades.

Beijos.


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds