Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Meus versos


'The Poet as a wayfarer' de Gustave Moreau
                                    “The Poet as a wayfarer”  de Gustave Moreau


Tento fazer uns versos
que digam de minhas
intenções e frustrações,
de toda a força desmedida
que me assoberba,
de toda a fúria e dor,
das demandas inalcançáveis,
do amor desperdiçado
ou que, sequer, foi amor,
do grito na garganta, preso,
dos encontros e desencontros,
das perdas e danos,
de todos os furacões de paixões
avassaladoras que me possuem,
de minhas verdades e mentiras...
Meu terrível Eu,
pulsando...
Mas são tão independentes
como pensei ser, um dia,
quando pensava que podia
escrever poemas de truz
que me elevassem à qualidade
de cantador de luz.
Prisioneiro da independência,
fiquei como meus versos,
sem distração
e relegado para categorias
menores...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 05:51
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De ana poeta. a 18 de Abril de 2008 às 01:26
J.C.Filho.

Poetamigo.

Os teus versos falam da alma que inspira sentimento e sensibilidade. Os teus versos falam do "eu" que dorme nos braços da poesia. Os teus versos falam da sintonia perfeita que há no indescritivel instante do teu poemar.

Beijos Poéticos.
;**


De Secreta a 18 de Abril de 2008 às 09:32
Relegado para categorias menores ?! Nunca.
Beijito.


De efeneto a 18 de Abril de 2008 às 11:30
Eu preciso de um poema alegre
Emoldurando uma semana triste
É necessária uma cor no cinza
Desta inútil dor que persiste.

Eu preciso de música vibrante
Melodia, um canto que espante
Atingindo em cheio com cantos
Todos meus obscuros recantos

Eu preciso dum pulsar da vida
De novo alento, ares do vento
Sentir no sangue em movimento
Vontade de outra vez renascer

Eu preciso de um poema alegre
Palavras que tragam o encanto
Pois para quem já viveu tanto
Tudo o que resta é continuar.

Resta continuar a desejar um fim-de-semana cheio de amizade.


De Lu Rosario a 19 de Abril de 2008 às 13:51
Seus versos merecem um altar!



De Eärwen Tulcakelumë a 19 de Abril de 2008 às 21:32
Qual poeta não tenta assim proceder
Qual poeta não se acha “menor’
Mas digo-te que são simples momentos
Pois teus escritos meu amigo são divinos
Tu és um cantador de luz

Deixo-te pérolas incandescentes de carinho, banhadas no rio de lava que em meu mundo corre.

Eärwen


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.Link em selo



.links

.pesquisar

 

.subscrever feeds