Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

De viver


'Close encounter' de Talantbek Chekirov
 

                                     "Close encounter"  de Talantbek Chekirov

 

 

 

Num momento,
um olhar ardente,
pungente, fremente,
o tocar, o abraçar,
taquicardias mil,
alguns tremores,
a garganta seca
e a vontade de cavalgar
os corpos,
cada centímetro,
sem desperdícios,
sem perdas.
Corpo a corpo,
corpo e alma,
mãos nas mãos,
mãos em pesquisas,
tateando, tateando...
Olhos rezando,
e ouvidos zumbindo.
E a explosão...
São os encontros,
desencontros
e reencontros...
Fugas, correrias,
anseios, devaneios,
promessas, esperanças
mudas
e surdas.
Creio e descreio,
sinto, amofino,
neste sentimento,
danado de dor
e de amor.


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 06:21
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Lu Rosario a 6 de Janeiro de 2009 às 13:58
Um momento diz tudo, sente tudo, acolhe a tudo.. um momento também é turbilhão, pode ser tempestade e trovão.

Beijão, meu amigo.


De M.Luísa Adães a 8 de Janeiro de 2009 às 16:30
jpcfilho

o desejo toma mil formas,
tanto se anseia
e num frémito de instantes,
desaparece
qual centopeia ...

lindo o teu poema, mas o que digo é verdade!
Por vezes deixa o vazio
Entrar nas nossas almas ...
E eu ... não dou benção, nem perdão!

Com ternura,

Maria Luísa


De Maria a 8 de Janeiro de 2009 às 19:57
Olá joão espero que estejas bem e neste inicio do Novo Ano, desejo que sonhes com vontade de concretizar o sentir da alma.
Há momentos que brilham e ficam para sempre.
Beijinhos e um sorriso
Maria


De Esyath Barret a 9 de Janeiro de 2009 às 17:38
Meu querido... é aquela velha nova história... a paixão pulsa nas veias, a mente embaça, a lógica morre e a vontade de viver, de amar, de tocar, de saciar e ser saciado nos consome por completo!

Beijos (Des)conexos!;)


De ana poeta. a 11 de Janeiro de 2009 às 01:38
João.

Num momento podemos esquecer de tudo e todos, e, apenas viver intensamente, sem pensar no depois ou até mesmo no amanhã que parece distante e incerto. É certo que falar de amor é algo complexo, melhor mesmo é divagar ou simplesmente poemar como vc tão bem o fez em teus versos.

Beijos Poéticos.
;**

Feliz 2009!


De paulovilmar a 11 de Janeiro de 2009 às 16:14
João!
Crer e descrer no mesmo ato, a cada segundo é o que nos move em direção ao amor...
Belo poema!
Abraços!


De ana poeta. a 11 de Janeiro de 2009 às 21:20
João.


Te escrevi mais um e-mail, antes do Natal te enviei um cartão de natal, não sei se viu e leu, espero q não tenha deletado, hj lhe enviei um recado muito importante q não quero compartilhar c os seus "amigos" q visitam o seu blog, apenas c vc, espero q esse vc leia e se por acaso for possivel responda as minhas inquietações.

Obg.
meu sempre e terno amigo.



Beijos Poéticos.
;****


De Lu Rosario a 14 de Janeiro de 2009 às 14:58
O amor quando muito intenso.. chega a dor.


De oriona a 23 de Janeiro de 2009 às 00:02
Lindo poema, forte e envolvente.
Um momento...um olhar...

Bjs


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds