Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

Remorsos

 

Perdi meu compasso de menino

e a régua a que me propus.

Da arquitetura que me planejei

nada restou,

só a desconstrução de mim,

do menino que era sábio,

e pensava os velhos poetas...

Sou quem não sou,

sei, que nunca soube

ou desaprendi o essencial

e perdi a essência de mim.

Convivo com que não gosto

e amargo o desespero

do resgate  à hora tardia

pobre homem rico

que carrega no dorso

todas as inutilidades

e na mente

todos os remorsos..

Deixei de ser homem

deixei de ser menino

e não carrego quase nada

que não seja, inútil ...

João Costa Filho


publicado por jpcfilho às 07:15
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Pedro Diniz a 24 de Outubro de 2007 às 12:26
Olá, é isso aí, daqui nada se leva..
Grande abraço


De Tatiana (amiga da praia) a 24 de Outubro de 2007 às 15:13
Oi João! Tudo bem?
Está ainda mais lindo seu cantinho de visual novo. Quanto as poesias, sempre belíssimas, parabéns!
Com essa chuva está difícil de encontrarmos os amigos na praia, mas em breve nos vemos todos lá.
Beijo grande.


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds