Terça-feira, 29 de Abril de 2008

Errante

 

Erro às ruas,

nas costas largas

 a mochila da alma

carrega passados

carrega estragos

estranhos de onde vim.

Em cada esquina eu paro

saudades

anversos

muitos versos

Em todo lugar estás

me toco, volto

estás, ainda estás

De porte altaneiro

incostestável

indubitável

és tu

e as esquinas versam

anversam

um calafrio em meu corpo

 

de: João Costa Filho

 

 

 

 


publicado por jpcfilho às 09:34
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De TiBéu ( Isa) a 29 de Abril de 2008 às 18:02
Fico encantada com a forma como escreves, coração na mão. Bj


De Secreta a 30 de Abril de 2008 às 10:19
Errante ... quem n é ?
Beijito.


De cõllybry a 30 de Abril de 2008 às 20:09
Tantas são as esquinas, das ruas...

Bjca doce, Poeta


De Pólvora a 30 de Abril de 2008 às 22:16
Dá calafrios a maneira como nos encontramos por vezes nas palavras dos outros.

Bem conseguído o poema.


De Dominique a 1 de Maio de 2008 às 03:49
Olá, João, vim agradecer a mais uma visita sua no Dominus. Sempre é um prazer ler o que você escreve, sejam versos ou opiniões. Ainda mais como poeta tens delicadeza e perspicácia para reconhecer e compreender emoções, sentimentos e nuanças que eu, por exemplo, não vejo com tanta acurácia.

Lendo estes seus versos jamais deixo de refletir se aqueles que amam não seriam andarilhos, peregrinos em busca da chama que os mantém vivos. Errantes, muitas vezes, parecem fugir de algo... das saudades, quem sabe... mas sempre se voltam em cada esquina, sempre em busca da estrada certa que leva ao coração...


Um abraço a ti!


De Lu Rosario a 1 de Maio de 2008 às 04:43
Versos, anversos, desversos, és versos.

Beijos.
Curta bem o feriadão.

Sinto saudades de vc..


De Lu Rosario a 1 de Maio de 2008 às 16:46
Vc quem me abandonou,viu?

A órfã aqui sou eu...buáaaa

Beijão.


De ana poeta. a 1 de Maio de 2008 às 19:18
J.C.Filho.


Os versos de hoje calam minha´lma. Os "anversos" ainda ressoam em minha mente e faz morada no indivisivel instante do versar.


Beijos Poéticos.
;**


De Eärwen Tulcakelumë a 2 de Maio de 2008 às 03:57
Quem de nós não errou,quem de nós não se perdeu, quem de nós não guarda ainda no corpo a lembrança... divina a tua escrita!
Agradeço sempre o teu carinho.

Pérolas incandescentes de inspiração, banhada no rio de lava do meu mundo.

Eärwen


De Jofre Alves a 2 de Maio de 2008 às 06:07
Cada um "carrega estragos" dentro de si, como nos diz este fino e elegante poema, de fina sensibilidade. Um prazer. Boa semana com tudo de bom.


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.Link em selo



.links

.pesquisar

 

.subscrever feeds