Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

Bendito fruto

Bendito fruto  

 

Eu, gnóstico, incrédulo, pragmático

aos poucos me convertendo

nos mistérios

às cousas que pouco sabia

e  onde ainda me perco.

Se uma dúvida se estabelece,

sempre que estou com ela.

Retorno-me  menino e crente,

assim tão derrepente

como o absurdo,

Que forja enlevos, encantos

E  sentimentos sobrenaturais

além de minha circunspecção...

Quando ela me toca, me abraça,

saro de todos os pecados  do mundo,

e fico pacientemente pecando com ela,

coisas de perdição,

alheio ao tempo, a idade,

apenas pecamos divinamente,

na certeza de paraíso.

Só as horas não obedecem

ao ritual do amor de luxúria

e as travessuras mil

de dois corpos loucos

de desejo, perdição e devaneios,

que se comunicam eletricamente, apenas.

de murmúrios que dizem tudo

dizem que a eternidade é ali

e ali também é  a síntese da vida

no seu apogeu

Corpo a corpo, corpo e alma fundem-se

Em metáforas de aleluia

senhas, sendas

fendas, seios,sei?

não sei,

Sei apenas que estou rezando:

que és o bendito fruto entre as mulheres

Amém...

João Costa Filho07/11/2010

 

 


publicado por jpcfilho às 21:44
link do post | comentar | favorito
|
11 comentários:
De Secreta a 24 de Janeiro de 2011 às 16:52
E esse é o saber que faz toda a diferença.


De M.Luísa Adães a 18 de Fevereiro de 2011 às 10:35
Linda forma de rezar

Bela maneira de acreditar...

E que tudo isso, seja a verdade que procuras há séculos.

Já estou em Portugal!

Um beijo

Mª. Luísa


De M.Luísa Adães a 18 de Fevereiro de 2011 às 10:59
joão

O perfil do prosa-poetica está fechado!

Não o quis com aspecto de abandono à mercê de
quem passa e eu não podia escrever nos dois blogs.

Tenho o Premios (de que gosto muito e tu nunca lá foste, com muita pena minha) e os 7degraus.

"Em cada um dos blogs, há possibilidades de passar de
um, para o outro."

Mas deixo os nomes, uma vez mais:

http://os7degraus.blogspot.com

http;//premios-prosa-poetica.blogs.sapo.pt

Gostava que visses o Prémios com algum tempo, eu o acho interessante e só sou lida por poucos amigos.
Daí o blogs é intimista e me dá liberdade de escrever prosa e eu gosto de escrever prosa.

No blogs fechado, estava reduzida a meia dúzia de amigos.
A grande maioria das pessoas passaram para o Facebook, daí a descida do sapo que está pobre, muito pobre.

O google é por mais uns tempos e o Premios talvez fique mais tempo e seja o último a fechar.

Mas enquanto escreveres como escreves, continua.

Podias passar para o google, como aventura, mas
o google também tem milhentas pessoas, em destaque
não estão os melhores, mas os espanhois levam a
literatura mais ao cimo do que os portugueses.

Mas no google estavas melhor! Que dizes? Eu te queria por lá.

Beijos e até breve. Mª. Luísa




De Esyath Barret a 1 de Março de 2011 às 18:25
Oi João... estava com saudade de vir aqui... É impressionante como sempre encontro profundidade nos seus versos. Traduzem a realidade de um modo gentil. É curioso observarmos que algumas pessoas realmente são descrentes a um ponto que beira o cinismo... Mas quando nos apaixonamos esquecemos essas crendices de descrédito e percebemos que a força do que sentimos é mais palpável do que qualquer pragmatismo e falta de fé... Aprendemos a ter fé na religião da realidade do que sentimos... da paixão e do amor que palpita em nossos corpos...

Biejos (Des)conexos!


De Lu Rosário a 12 de Março de 2011 às 21:17
Vim aqui dizer que voltei e saber se você ainda lembra de mim.. dessa mulata que aparece e some e que anda a prometer os acarajés da bahia de todos os santos..rsrs

Saudades de vc!

Beijos.


De Lu Rosário a 3 de Abril de 2011 às 00:48
Opa!
Bem que não me esqueceu mesmo e nem eu esqueço de você.

Estou lá no Sem Pudor, com palavras soltas e sem palavreados..rs

Te adoro!
Beijão!


De Chellot a 20 de Abril de 2011 às 20:06
Rezar e amar, uma sensual cadência que transpira emoções desenfreadas. Lindo! Beijos doces. Saudades daqui.


De M.Luísa Adães a 26 de Abril de 2011 às 19:04
João

Tenho estado à tua espera no Prémios e nos
7degraus (google).

Não tornaste a aparecer!

Eu estive doente um tempo largo e daí a minha
ausência. não esqueci!

E você? Esqueceu e é feliz assim? Então, se é feliz,
não há reparos a fazer.

Saudades,

Maria luísa


De M.Luísa Adães a 12 de Junho de 2011 às 09:52
João

Já tenho o segundo ato dos gatos no Prémios.

Lugar mal escolhido, mas depois o vou levar ao google
embora, talvez, não gostem do género.
Mas é metafórico - meti os gatos e os juntei às pessoas, pelo amor que tenho aos animais.

Um beijo,

Maria luísa


De M.Luísa Adães a 15 de Junho de 2011 às 17:45
João

Venho saber de ti. Continuas sem escrever, mas te
digo, não nos habituemos a ausências tão prolongadas...
O tempo passa
a vida passa
e tudo passa.

Porque nos afastamos
uns dos outros
se tudo passa
por nós e não volta?

Sinto a tua falta!

Um abraço,

Maria luísa


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds