Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009

Teu destino


'Destiny' de John William Waterhouse
              “Destiny”  de John William Waterhouse


Há destinos que se
distanciam,
porque não sabem
que foram criados
para se completar.
E tu distancias-te de mim,
desdenhando meus apelos,
sem dar à tua vida
esta única chance.
Eu, que te procuro há mil anos,
em idades diversas,
aprendi e apreendi
todas as artes
de te fazer feliz.
É essa minha missão:
fazer-te sorrir,
encher-te de mimos
e de tolices mundanas.
Tudo o que quiseres
será teu.
Num olhar, acreditarás
que somos unos.
Não me importo
de ser ridículo.
O importante somos nós.
Vem! Põe tua felicidade
num pote de mel,
consulta tuas rosas
e o mapa do caminho,
e acreditarás que só nos temos
um ao outro...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 21:23
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Diluído


'Form-spirit transformation' de Giacomo Balla
                       “Form-spirit transformation”  de Giacomo Balla


Tem uma parte de mim,
bem distante,
onde nunca fui
e, com certeza, nunca irei.
Tem outra parte de mim,
tão fundo
lá dentro de mim,
que não vejo
ou sinto.
Tem outra parte de mim
colada em uma criatura,
em dependência morfológica.
Outras partes espalhadas
neste imenso universo
de tudo:
paixões relâmpagos
em algum Everest
da última galáxia.
Estou, geograficamente, tão diluído
que também não sei onde

poderei estar...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 13:39
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

A passagem


'Grey and Gold' de John Cox
                                                      “Grey and Gold”  de John Cox


Tem uma passagem
no fim daquela rua.
Tem uma passagem
que conta contos
e fala de redenção,
de mudanças e alvíssaras,
de deixar para trás
os guardados insolúveis,
de sacar as roupas
manchadas
de desventuras,
dos mapas do caminho,
de lonjuras sem fim.
Vou ali, talvez,

desvendar o mistério,

o acalanto humano
No fim daquela rua,

não existe ideologias

nem religiões, e ali
vou atirar o ontem,
o hoje, o nunca.
No fim daquela rua,
tem uma passagem
que não compreendo,

mas que me enternece.
Dali, sei tanto
quanto sei  de mim,
por isso, vou até ao fim
daquela rua,
não me perguntem  porquê...

Vou apenas em busca,

de me encontrar,

e quem sabe, ali me perder...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 13:59
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

De viver


'Close encounter' de Talantbek Chekirov
 

                                     "Close encounter"  de Talantbek Chekirov

 

 

 

Num momento,
um olhar ardente,
pungente, fremente,
o tocar, o abraçar,
taquicardias mil,
alguns tremores,
a garganta seca
e a vontade de cavalgar
os corpos,
cada centímetro,
sem desperdícios,
sem perdas.
Corpo a corpo,
corpo e alma,
mãos nas mãos,
mãos em pesquisas,
tateando, tateando...
Olhos rezando,
e ouvidos zumbindo.
E a explosão...
São os encontros,
desencontros
e reencontros...
Fugas, correrias,
anseios, devaneios,
promessas, esperanças
mudas
e surdas.
Creio e descreio,
sinto, amofino,
neste sentimento,
danado de dor
e de amor.


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 06:21
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds