Domingo, 30 de Agosto de 2009

Eu e o outro


'Metamorphosis of Narcissus' de Salvador Dali
                                    "Metamorphosis of Narcissus"  de Salvador Dali


Viajar em mim
já não basta,
para perceber o gênero
humano.
Olho-me no espelho,
profundamente,
e sou o que nego.
Hesito em me ver,
se, ali, está e mora
tudo que condeno...
Não vou mais acusar,
não vou mais denegrir
ou dizer mal,
ou nomear vilões
ou canalhas.
Vou me abster
dessa ilicitude.
Sequer, vou olhar para trás
ou qualquer sítio.
Sequer, vou sentir vergonha,
pois... se de quem?...
Me preencher de mim

e de meus pares,

é  meu anelo,
mas estou terrivelmente vazio
de tudo.
Ou devo voltar ao espelho
e aceitar que somos
unos
e que eu sou
o outro?...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 19:20
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Sábado, 22 de Agosto de 2009

...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O homem só

 

O homem vazio

e a imagem dela

estava no cio

E o homem vadio

fazendo aquarela

de cores do frio

pra  vê-la passar

Homem vadio

continua vazio,

continua com frios

de noites sem sombras,

sem estrelas ou luar.

O homem vazio,(vadio)

de dias pra lá

de dias pra cá

  não é tão vadio,(vazio)

mas continua com frio

e tem a tristeza,

pra lá e pra cá,

com ele morando

 

João Costa Filho

 


publicado por jpcfilho às 15:36
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Agosto de 2009

Solidão

 


'The lamentations of the Poet' de Gustave Moreau
“The lamentations of the Poet” de Gustave Moreau


A minha solidão
me faz distante.
É feita de quedas,
de onde grito saudade
ao topo do mundo,
amargo e me fortaleço
de nada.
Se só,
tenho a enfrentar
intempéries invernais
e o macambúzio abandono
de mim.
Suspenso entre dois vazios,
penso  amores,
cogito presenças,
alguma presença.
E o relógio diz,
o tempo urge,
o mundo roda,
a natureza reverbera
e, eu continuo de olhos curvos,
a pisar em estradas
estranhas de mim,
luas, sóis, estrelas,

tudo distante
não canto mais musas de amanhã.
se sou invisível,

e meus sonhos inacabados
Com quem falar

de coisdas esquecidas

se quem está,

ainda não veio...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 17:42
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

.Ao som de:


.mais sobre mim

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.arquivos

. Maio 2012

. Abril 2012

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.Link em selo



.links

.pesquisar

 

.subscrever feeds