Domingo, 3 de Dezembro de 2006

Uma lágrima


'Lamentation d'Orphée' de Alexandre Séon
                                         "Lamentation d'Orphée"  de Alexandre Séon


De repente, uma lágrima
cai em minha solidão,
salga-me a boca,
rola e vai ao chão
e some, sem saber
que, para nascer,
explodiu no peito,
não sei de que jeito,
para, depois, ir subindo
e dos olhos caindo
para o nada.
Mas, nessa madrugada,
muito fiquei sentindo.
Do passado?...
Não sei,
mas, de risível leveza,
um pedaço de mim
precipitando...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:39
link do post | favorito
De Margarida Daniel a 4 de Dezembro de 2006 às 20:54
Divino. Adorei este poema.

E lá perdi mais um amigo, não foi? Se a verdade me dói tanto a mim, quem pode querê-la?


De jpcfilho a 4 de Dezembro de 2006 às 23:16
Olá Margarida, obrigado pela visita. Mas não entendi que amigo vc perdeu. Tomara que não seja eu, que vou ficar aqui vendo o mundo rodar e te esperando...beijos


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds