Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2006

Versos rasgados


'Still life with book, papers and inkwell' de François Bonvin
                        “Still life with book, papers and inkwell”  de François Bonvin


Vou rasgar todos os versos!
Os versos que escrevi,
porque não tinha
o que dizer.
Vou rasgar aqueles versos
que fiz, porque sentia muita saudade
e, hoje, tenho mais saudade.
Vou rasgar os versos
que pensava falarem lá de dentro,
que pensava seduzirem-me,
que achava me distraírem
de coisas mais sérias
que estes versos,
como esta espada imensa
que me atravessa o peito
e que carrego, gelada.
Coisas mais sérias,
como o grito dos famintos
e a dor dos suicidas.
São muitas as espadas geladas,
por isso escrevi muitos versos
de agonia.
Mas de nada adiantou,
nada floresceu,
nada vingou,
nem esses versos rasgados.
Que os carregue o vento...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:11
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Cöllyßry a 23 de Dezembro de 2006 às 20:52
Lindo Poeta...sei que não vai rasgar...se não como os poderia-mos absorve-los...Meu beijo doce


De jpcfilho a 23 de Dezembro de 2006 às 21:13
Lindo Beija-flor, que bom te ver esvoaçando por aqui...Muitos beijos.. Um Natal maravilhoso, e Ano Novo Também. beijos.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds