Terça-feira, 13 de Maio de 2008

A noite da balada


'The farewell of Abelard and Heloïse' de Angelica Kauffmann
    "The farewell of Abelard and Héloïse"  de Angelica Kauffmann


De tecido negro,
vestiram minha alma
dilacerada no adeus...
E foi naquela noite
da balada maldita,
que falava de horrores,
de maldições e pragas,
e se fechavam
todas as portas
e janelas,
para esconder
do terror da lenda
e da maldição
de arrepios centenários...
Se verdadeira, não sei.
Mas a noite maligna
ainda assombra,
além das horas.
E minha alma continua
vestida com pele negra
e gelada,
desde que ela partiu,
ao som de outras
promessas
e urdiduras
não menos cruéis...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 22:30
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Pólvora a 14 de Maio de 2008 às 12:40
Bonito poema. Gostava sinceramente de saber qual é a formula para nos sentirmos melhores....não se pode dizer que não procuro, apenas não encontro "de tecido negro vestiram minha alma".


De susana pessoa a 14 de Maio de 2008 às 18:55
que coisa mais linda ...meu querido especial amigo....
sabes que te amo do fundo do meu coração........


De ana poeta. a 15 de Maio de 2008 às 01:14
J.C. Filho.

De vestes negras
encalusuraram-no.
E numa noite
de blasfemias proferidas
aprissionaram os teus ais
entre as incertezas
de contraditórias frustações.
É verossímel ou não?
Os pensamentos revoltos
debruçam-se
nos braços do tempo
que fatigado
cobre-os com o manto
do esquecimento.
E assim essa noite
reverbera em minha´lma
a negritude do adeus
que permanece
involucro
num tênue talvez...

Beijos Poéticos.
;***

p.s: Gostei muito de teus versos de hj.


De Eärwen Tulcakelumë a 15 de Maio de 2008 às 01:29




Chora todas as tuas mágoas, mas depois levanta, troca a mortalha que te cobre pelas vestes brancas da esperança....
Gosto imenso do que escreves, consegues realmente cativar.

Pérolas incandescentes de esperança e força, banhadas no rio de lava do meu mundo.

Eärwen


De Sonhosolitario a 15 de Maio de 2008 às 11:18
ola amigo João estou sem palavras meu grande amigo .lindo este poema ,um pouco sentimental .adorei
tem muita materia para se pensar amigo .um forte abraço deste teu amigo que te respeita muito ,sendo nós virtuais ,desejo-te muita felicidade nesse teu coração .muita saúde .paz e amor ..
voltarei sempre que puder amigo João ....
sonhosolitario


De paulovilmar a 15 de Maio de 2008 às 14:28
João!
"...ao som de outras
promessas
e urdiduras
não menos cruéis..."

Gosto muito de ler tua poesia, amigo! Tens umas passagens simplesmente geniais!
Abraços.


De São Banza a 15 de Maio de 2008 às 16:09
Espero que fique, ja´que foi dificil entrar!!


O poema é muito bonito.
Fliz final de semana.


De Pólvora a 15 de Maio de 2008 às 18:22
Obrigado também pelo teu comentário :)

Bjs


De efeneto a 15 de Maio de 2008 às 22:28
Terrivelmente cheio de magoa. Mas, terrivelmente belo. Um canto á saudade.
Abraço amigo.
(vou ler os outros atraz pois ando atrazado.)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds