Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

A passagem


'Grey and Gold' de John Cox
                                                      “Grey and Gold”  de John Cox


Tem uma passagem
no fim daquela rua.
Tem uma passagem
que conta contos
e fala de redenção,
de mudanças e alvíssaras,
de deixar para trás
os guardados insolúveis,
de sacar as roupas
manchadas
de desventuras,
dos mapas do caminho,
de lonjuras sem fim.
Vou ali, talvez,

desvendar o mistério,

o acalanto humano
No fim daquela rua,

não existe ideologias

nem religiões, e ali
vou atirar o ontem,
o hoje, o nunca.
No fim daquela rua,
tem uma passagem
que não compreendo,

mas que me enternece.
Dali, sei tanto
quanto sei  de mim,
por isso, vou até ao fim
daquela rua,
não me perguntem  porquê...

Vou apenas em busca,

de me encontrar,

e quem sabe, ali me perder...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 13:59
link do post | favorito
De TiBéu ( Isa) a 22 de Janeiro de 2009 às 11:20
Passei para ler os teus lindos poemas, tens andado fugido, mas cada um tem a sua vida, não é verdade? Beijinho.... já esquecia de dizer que adorei o poema.


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds