Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Dúvidas


'Destiny' de Jacek Malczewski
                                                      "Destiny"  de Jacek Malczewski


Carregamos, da vida, as dúvidas
do que traz,
do que leva,
do quem trouxe,
aonde, quem vai levar...
Da esfinge, o seu enigma, quem decifrará?
Do sentido da vida, o mistério,
quem desvendará?
A ciência, a matemática ou o acaso?
As metáforas e o maniqueísmo:
do bem e do mal,
do feio e do bonito,
do certo e do errado...
A certeza, a vera certeza
já não põe mesa,
porque tudo é relativo. Tudo!...
Inclusive, a morte.
Então, meu irmão,
para que tanta frescura,
se, ao dormires, estás morrendo
um pouco,
se a mão que afaga
é a mesma que apedreja?
Se do mundo nada se leva,
para que tanta empáfia,
se não sabes nem
o que te espera
daqui a um minuto
e em pouco tempo
tudo vira barro?...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:47
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De Maria a 28 de Fevereiro de 2007 às 10:36
Olá joão.

Meu amigo tudo é efémero e só o amor nos faz viver,mesmo que sejamos atingidos com alguma seta venenosa.
Beijo grande na eternidade... :)
Deixo um sorriso
Maria


De YSL a 28 de Fevereiro de 2007 às 17:31

Mistérios da vida
A vida continua
com seus mistérios
profundos e infindáveis
levando o tempo
em seu entremeio
disfaçando dissabores
confundindo amores.

Vida que me leva
por caminhos perdidos
com a certeza tenaz
de anseios vencidos
do amor vivido
vieram e se foram,
tudo tão fulgáz.

Vida de sonhos,
de encantamentos,
de busca constante
mentiras, verdades,
até vaidades,
feridas, dores,
sem finalidades,
tornou-me capaz.

De encontrar no destino
força e equilíbrio,
desejos que antes
foram descartados
hoje fundamentam
todos meus passos
para ver com alegria
quão bela é a vida
nessa busca infinita
de um caminho de paz.


De YSL a 28 de Fevereiro de 2007 às 17:31
Mistérios da vida
A vida continua
com seus mistérios
profundos e infindáveis
levando o tempo
em seu entremeio
disfaçando dissabores
confundindo amores.

Vida que me leva
por caminhos perdidos
com a certeza tenaz
de anseios vencidos
do amor vivido
vieram e se foram,
tudo tão fulgáz.

Vida de sonhos,
de encantamentos,
de busca constante
mentiras, verdades,
até vaidades,
feridas, dores,
sem finalidades,
tornou-me capaz.

De encontrar no destino
força e equilíbrio,
desejos que antes
foram descartados
hoje fundamentam
todos meus passos
para ver com alegria
quão bela é a vida
nessa busca infinita
de um caminho de paz.


De YSL a 28 de Fevereiro de 2007 às 17:38
Perdoa, peço muita, muita desculpa nem sei como repeti o poema, tou envergonhada, beijo bom


De jpcfilho a 28 de Fevereiro de 2007 às 22:03
Olá YSL, não tem do que perdoar querida, pois o poema é belo, então vale repetido...beijos


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds