Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

Voltando...


'La vie de bohème' de Alfred Pages
                                               “La vie de bohème”  de Alfred Pages


Um grande silêncio
espera meu grito,
lá, onde a prece se separa
do vento,
além dos morros que uivam.
Aguarda-me, ali, o branco,
sem cor, soma
de meus atemporais desleixos
e da inércia de ser, estar.
Hesito e esqueço
as músicas dos mestres
ou dos ventos que assobiam.
Lá, onde tudo é branco esqueço de mim,
da Maria, da Tereza,
e das ave-marias.
Ali, confiscaram minha sombra
e tudo é branco.
Só esquecimento...
Gostava eu de esquecer
do que não gostava,
mas, onde tudo é branco,
penso negras tempestades,
penso caleidoscópios
que esqueci.
E não me penso alvar.
Quero um pouco de escuridão,
quero reinaugurar a dor de amor,
a paixão desmedida.
Quero minhas lembranças tortas
de volta.
Minha antiga
vida de boêmio, de doido,
quero viver...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 20:35
link do post | favorito
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds