Quinta-feira, 11 de Junho de 2009

Escultura


'A sculptors model' de Sir Lawrence Alma-Tadema
           “A sculptor’s model”
       de Sir Lawrence Alma-Tadema



Vou tentar dimensionar
essa ilusão
geométrica, geográfica
de contornos incontornáveis,
relevos, montes, curvas,
desvios, lombadas
e, assim somada, somando
propriedades incríveis,
tudo detalhadamente,
mormente, maiormente,
adequando álgebras,
metafísicas, aritméticas,
muitas equações
em quânticas quantidades
e planejos de Mestre...
Primeira maravilha,
e também única,
englobas as ciências globais
e dalém,
hemisférios e zodíacos.
És também plasma
e eu, hector, plasmo
núcleo e protozoário,
visagens de mim.
À alma chegas, sem portas,
e entras lá dentro,
onde moram meus segredos
e receios,
incompletos em mim.
Olhos galácticos,
corpo, sendas, fenda
seios. Sei?...
Não sei e sei, e plano
em sonhos
misteriosos.
És delírio
e eu escultor...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 18:23
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De oriona a 12 de Junho de 2009 às 03:33
E como tu eu crio e recrio essa ilusão, tão minha sem jamais niguém saber. E na minha fantasia alguém existe e soma às maravilhas desse sonho o amor ideal...e vem, devagar...
"À alma chegas, sem portas,
e entras lá dentro,
onde moram meus segredos
e receios,
incompletos em mim."

Estou muito feliz por saber de ti.
Também não me faltam palavras para dizer que te amo e te amarei sempre...sempre...


De M.Luísa Adães a 15 de Junho de 2009 às 21:15
joão
"
"À alma chegas sem portas"...

e descobres meus segredos
e saudades,
os meus medos,
os meus anseios,
as lembranças
de tempos passados...

O que ficou?
Nada ficou,
tudo desapareceu
no meu sentir,
mas lembro
e enalteço teus versos.

Lindo poema!

Com saudade,

Mª. Luísa - Brasil


De Secreta a 16 de Junho de 2009 às 11:37
" És delirio e eu escultor" ... que fantástico sentir.
Beijito.


De TiBéu ( Isa) a 17 de Junho de 2009 às 17:18
Tudo o que a secreta escreveu é meu pensamento, bj


De mixtu a 19 de Junho de 2009 às 17:30
escultor..
o indivizivel percorre um percurso e deixa a sua marca...
esculpir corpo alheio...
se feminino... uma arte... mais belo que o corpo masculino...
tenho por habito dizer: desejo beber um copo contigo...
vou passar a dizer:
desejo ser escultor...
yayayya

poesia...

abrazo desde a Serra


De M.Luísa Adães a 19 de Junho de 2009 às 19:01
João

Ainda estou no Brasil,
saudosa dos que ficam
saudosa dos que esperam
e quando voltar...
quem sabe?

Talvez escreva meus versos
retalhados, desfeitos...
em cinzas e pó.

Beijos da amiga que não te esquece,

Mª. Luísa - Brasil


De Esyath Barret a 20 de Junho de 2009 às 02:43
João,

eu gostei.... acho que todos sempre passeamos por ambos os lados... pelo delírio e pela criação.... a questão é.... quando estamos dispostos a aproveitarmos ambos os lados?

Beijos (Des)conexos!


De Lu Rosario a 21 de Junho de 2009 às 01:13
Assim como és escultor de poemas belissimo, és tambem da vida em si.

Beijão.
Saudades.


De paulovilmar a 23 de Junho de 2009 às 01:53
João!
E do ar surgem tuas esculturas poemas!
Abraços!


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds