Quarta-feira, 11 de Abril de 2007

Vazio


'The anthropomorphic cabinet' de Salvador Dali
                                    “The anthropomorphic cabinet”  de Salvador Dali


Quando o vazio me chega,
visto-me de fantasias
e sou quem não sou
e vou aonde não vou.
Posso ser, apenas, uma poeira,
entre o horizonte e o cosmos,
um grito de dor na escuridão,
um micróbio à deriva,
uma nota musical
ou o próprio perdão.
Todo o amor do mundo
pode vir morar em mim.
Sou príncipe, sou mendigo
e mora comigo
uma canção inesquecível.
Posso me embriagar de solidão,
decorar alguns textos supérfluos
ou fazer qualquer besteira...
Quando o vazio a mim chega,
sinto-me herói e bandido
e outras incoerências.
Quando vazio,
viajo em nuvens inquietas
ou escondo-me atrás de átomos,
por pura timidez.
Quando chega,
sinto recordações dos mortos
e saudades distantes.
Sinto tristezas, sinto agonias
e muitas noites vazias.
Quando se aproxima,
finjo meus desvarios
e penso buracos insondáveis
onde me amofino...
Quando chega, o vazio
traz muitos danos e perdas
e quase me mata asfixiado
de nada...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:44
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Secreta a 12 de Abril de 2007 às 08:55
Bem , deixaste-me sem palavras! Leste-me a alma , o coração ? Sentiste os meus sentires ?
A imagem é fantástica!
Beijito.


De jpcfilho a 12 de Abril de 2007 às 09:48
Olá Secreta, é isso aí, se gostaste, achei muito bom. Obrigado. beijos


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds