Sexta-feira, 25 de Maio de 2007

Sensações

'Democritus in meditation' de Salvator Rosa
         “Democritus in meditation”  de Salvator Rosa


Em uma hora dessas,
partirei
com a sensação de total
incompletude.
E sinto o vazio enorme
do que não sei,
do que deixei de saber,
do que nunca saberei...
Nunca decifrei nenhum
enigma ou mistério...
Não entendi o meu irmão
e nem me fiz entender,
e, aí, não me entendi...
Não compreendi nenhum
livro sagrado,
nunca bebi na fonte
de nenhum saber,
nunca percebi o sentido
das coisas ou da vida.
Minhas interpretações
nunca foram corretas...
Nunca fiz nada
especificamente correto.
Nada sei nem vou saber.
Irei como cheguei.
Nada aprendi ou apreendi,
nunca fui herói, nem santo.
Também não os reconheci.
Não tenho crença,
não acredito em mim
ou em nada...
Nunca escrevi um belo poema
ou elaborei exegeses.
Nunca tive um grande amor
nem fui convergência de paixões
quaisquer...
Sou só, solitário e casmurro,
e tenho a sensação
de que nunca estive aqui
e que já vou tarde...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 22:13
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds