Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Meus versos


'The Poet as a wayfarer' de Gustave Moreau
                                    “The Poet as a wayfarer”  de Gustave Moreau


Tento fazer uns versos
que digam de minhas
intenções e frustrações,
de toda a força desmedida
que me assoberba,
de toda a fúria e dor,
das demandas inalcançáveis,
do amor desperdiçado
ou que, sequer, foi amor,
do grito na garganta, preso,
dos encontros e desencontros,
das perdas e danos,
de todos os furacões de paixões
avassaladoras que me possuem,
de minhas verdades e mentiras...
Meu terrível Eu,
pulsando...
Mas são tão independentes
como pensei ser, um dia,
quando pensava que podia
escrever poemas de truz
que me elevassem à qualidade
de cantador de luz.
Prisioneiro da independência,
fiquei como meus versos,
sem distração
e relegado para categorias
menores...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 05:51
link do post | favorito
De Secreta a 18 de Abril de 2008 às 09:32
Relegado para categorias menores ?! Nunca.
Beijito.


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds