Domingo, 12 de Fevereiro de 2006

O indigno


'Love among the ruins' de Sir Edward Burne-Jones
                                 "Love among the ruins"  de Sir Edward Burne-Jones


Minha indigníssima pessoa
não pertence a nenhum
contexto
nem mistério.
Não freqüento rodas
sociais
nem mesmo
periféricas.
Não faço parte de nada.
Não sou um filósofo,
não ando com poetas
nem os entendo.
Não jogo tênis
nem futebol.
Nunca ninguém
chamou-me de doutor
nem de outra qualquer
profissão específica.
Mulheres bonitas
e carrões
só nos reclames...
Sou desbotado.
Não sou de nenhuma cor
ou raça.
Nunca tive cartão de crédito...
Também não acredito
em quase nada.
Não acredito em religião
santos, demônios, heróis
ou no inferno...
Afinal, não sou
tanta coisa,
que nomear nem posso...
Mas posso, sim,
isso, eu posso:
dizer que és tudo
e que te amo...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 22:20
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds