Domingo, 30 de Dezembro de 2007

Meu tempo é teu

 

 

Tresvario, loucas aparições

em mim, enfim...

Doudo frenesi, sortilégios,

versos que cavalgo,

manco de rimas,

tranco de pudores.

Teus olores, fragrantes

perfumam distancias

que me consomem.

Refém dos sentidos

não tenho sentido

esperança, e, ou futuro,

se todo, sou tu.

Sou os versos tortos

que ninguém ousou,

o vento sem sentido

a brisa passageira.

Passo chuva, ardo sol,

nesse exercício de

excitado arrebatamento.

Já não me sigo

já não me sinto,

sou todo entrega...

Perdi os caminhos de antes

depois que dividistes

meu tempo...

 

João Costa Filho


publicado por jpcfilho às 08:08
link do post | favorito
De TiBéu ( Isa) a 3 de Janeiro de 2008 às 14:21
"Já não me sigo,
já não me sinto,
sou todo entrega..."

Adoro vir ao teu blog, gosto deste teu poema, e esta frase está linda. Ao longo de 2007 conheci muita gente virtualmente uns tocam-nos mais que outros, não sei bem porque. Talvez pela sua maneira de escrever e pelo carinho, tu foste mais um doque tocou cá dentro. Votos que 2008 traga para ti e todos nós muita PAZ que deus de conceda tudo que desejares são os meus sinceros votos.Sou simples na minha escrita mas é feita com o coração. Tudo de bom e muitas visitas no cantinho da tibéu hehe Um grande beijo de amizade


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds