Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2006

Vazio


 'Young man at his window' de Gustave Caillebotte
"Young man at his window" de Gustave Caillebotte


Enfim, vulnerável
ao teu tom,
ao teu som,
à tua cor,
a ti...
E eu a teus pés...
Basta um movimento
e o grito
fica no espaço,
onde estivemos...
E demovem-se montanhas...
E o vazio
volta a habitar
o vazio...
E as noites frias
são mais frias...
E, no olhar,
a infinita pergunta:
Por que vieste
e por que foste?...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:05
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Anónimo a 25 de Janeiro de 2006 às 18:19
Ha silencios vazios e silencios repletos de tudo.
quem és tu ilustre desconhecido?maria
</a>
(mailto:joanadarq@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Janeiro de 2006 às 14:26
Eu conheço esse "Vazio"... belos poemas aqui encontrei. elsa
(http://umaalmaescondida.blogs.sapo.pt/)
(mailto:eelsita@sapo.pt)


De Anónimo a 19 de Janeiro de 2006 às 21:56
Nunca nos contentamos com o pouco.....queremos sempre o tudo.....eu tb pergunto tantas vezes: Porque vens se tens depois que me deixar?Ana Luar
(http://aromademulher.blogs.sapo.pt/)
(mailto:luar_zita@msn.com)


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds