Quarta-feira, 19 de Abril de 2006

Tu e o infinito


'Enchantment' de Maxfield Parrish
                “Enchantment”  de Maxfield Parrish


Por que me olhaste, 
se eras
uma estrela distante?
Por que sorriste,
se, para mim, cósmica,
inalcançável?
Por que me tomaste,
como numa invasão bárbara,
impensável?
Estás aqui a toda a hora.
Antes, apenas uma ilusão.
Agora, olhaste e sorriste,
és promessa,
vinte quatro horas.
Toda a vida,
a aguardar a estrela guia
e, como astro,
a seguir-te em outras dimensões,
até à aurora boreal.
É só o que importa.
O resto é o infinito...


De: João Costa Filho




publicado por jpcfilho às 20:39
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Lu Rosário a 19 de Abril de 2006 às 21:44
Lindo.....basta acreditarmos mais no amor e deixar as ilusões para a infinidade..longe dos pensamentos.

Beijos!


De espelhodesombras a 20 de Abril de 2006 às 09:15
Alo Lu, sempre gentil, muito obrigado, abração...


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds