Sábado, 22 de Abril de 2006

Inerte


“Gentleman lounging in a chair” de Carle Vanloo
                                  “Gentleman lounging in a chair”  de Carle Vanloo


Uma espécie
de encanto
e espanto
materializa
o inerte,
num espaço
lúdico
de uma vida esquecida
e carente
das espécies
e do encontro,
que se repete,
mas não satisfaz
a ambição irreal
ou fugaz,
mas infinita de si
e de outros...


De: João Costa Filho




publicado por jpcfilho às 21:18
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Lu Rosário a 23 de Abril de 2006 às 17:34
Eu já tinha passado aqui ontem e lido este poema, mas não tive palavras para comentar por isso me ausentei.Continuo sem palavras....rs....mas saiba que tido o q escreves é muito bom.Obrigada pelo comente em meu blog....gostei muito.

Beijos!


De espelhodesombras a 1 de Maio de 2006 às 10:06
Querida Lu, como sempre gentil, obrigado, e apareça sempre...grande abraço


De Renan Costa a 2 de Maio de 2006 às 12:42
Grande João esse é meu pai!! Agora vais ter que fazer uma poesia para seus filhos mesmo elas sejam tortas.. Parabéns beijos do seu filho Renan


De jpcfilho a 4 de Maio de 2006 às 23:06
Grande Renan, esse é meu filho, e falando nisso vê se aparece...beijo


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds