Domingo, 18 de Maio de 2008

Minha ilha


'Enchanted isle' de Jean Lurçat
                                                  “Enchanted isle”  de Jean Lurçat


Os vultos de minha fantasia
diluem-se em lonjuras.
Como posso estar de mim
tão distante
que não vejo meus pés?...
Estou indo a um sumidouro
que desconheço.
Sou apenas uma ilha.
Ilha de tudo
que desentendo
e do que não aprendi.
Como decifrar o código?
Como permanecer sóbrio?
Como me fazer entender
às vicissitudes
das estrelas, montanhas
e pássaros que passarão?...
Eu também passarei
muitos  passarinhos.
Agarro-me a um poste
e vejo milhões de postes
em uma linha infinita,
para esquerda, direita...
Todas as direções
incontáveis.
A minha solidão também.
A que distância estou de ti?...
Os pássaros passarão
e eu passarei
muitos passarinhos...


De: João Costa Filho


 


publicado por jpcfilho às 14:50
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Eärwen Tulcakelumë a 19 de Maio de 2008 às 17:54
A ilha, a nossa ilha sempre está perto do coração a quem se destina o nosso gostar. E para quem gosta, não existe distância... o longe se torna perto...a distância inexiste...essa é a magia... acredite. Gostei muito mesmo.
Agradeço as tuas palavras no meu mundo.

Pérolas incandescentes de bons sentimentos e luz, banhadas no rio de lava do meu mundo.

Eärwen


De cõllybry a 19 de Maio de 2008 às 18:31
Pois não somos nós mesmos que traçamos a distância...

Sempre com beleza

Doce meu beijo


De Pólvora a 19 de Maio de 2008 às 21:14
Como posso de facto estar de mim tão distante...é uma das poucas perguntas que me vêm ainda à cabeça.
A única ilha que conheço está dentro de mim, creio que se chama coração, não sei ao certo, há algum tempo que não vou lá, sob pena de ter de me lembrar de coisas, coisas essas das quais queria não saber a distância, mas estão tão perto....e eu cada vez mais distante.

Bjs


De ana poeta. a 19 de Maio de 2008 às 23:38
J.C.Filho.

Se és uma ilha,
quero navegar em teu mar
naufragar em tuas palavras
e nelas me afogar
até que meu último suspiro
se finde no ir e vir
das brumas pálidas.


Beijos Poéticos.
;**

p.s: Os versos de hj estão "passarinhos" que pousam nas linhas invisiveis da mente que não mente, apenas finge esse querer inalcançável.


De Secreta a 20 de Maio de 2008 às 09:36
A distãncia é muitas vezes alimentada por nós mesmos...
Beijito.


De menina sonhadora a 20 de Maio de 2008 às 21:33
Nao é o homem que cria a distancia apesar de as vezes isso acontecer
bjs


De paulovilmar a 21 de Maio de 2008 às 15:34
João!
Nós sempre passarinhos...
Abraços!


De Maria a 21 de Maio de 2008 às 21:58
Olá João espero que estejas bem.
O segredo da ilha que espelho é.
A distância... nos une e os passarinhos cantam a pauta, que por aqui ousamos desvendar.
Gostei, gosto e gostarei... dos pássaros,passarinhos e muitas vezes de solidão.
Beijinhos e um sorriso
Maria


De carla granja a 22 de Maio de 2008 às 10:26
Olá João! gostei dessa ilha com muitos passaros e fantasia.
espero que tenhas um bom feriado e que passes no meu blog e me digas se gostas das mudanças que fiz
bjos
carla granja


De Sindarin a 25 de Maio de 2008 às 14:31
Olá muito obrigada pela visita. Estive a ler alguns dos seus poemas e gostei mto. O blog tb está lindíssimo, virei por certa mais vezes pois gostaria k fôssemos amigos. Obrigada mais uma vez um beijo amigo.


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds