Sexta-feira, 18 de Agosto de 2006

Teus olhos entendem


'Love' de Gustav Klimt
                          “Love” de Gustav Klimt


Teus olhos
entendem meus olhos,
se, no silêncio,
trocamos promessas,
dizendo de amor
e das viagens
de nós.
Teus olhos sorriem
em meus olhos
e nos envolvemos,
profundamente,
nesse abismo de rosas.
E bem no fundo
de teus olhos
está o meu futuro,
todos meus almejos,
enquanto teus olhos
entendem meus olhos
e nos falam de amor...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 22:28
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Silvia a 19 de Agosto de 2006 às 21:18
Antes de mais obrigado pela leitura das minhas mensagens que por vezes são longas demais.
Mas faz-me bem escrever e é um modo de extravasar o que não digo a ninguém.

Obrigado.


Realmente tu tens toda a razão quando se fala de amor, isto é concordo com aquilo que dizes.
Eu sei o que é o amor porque já senti embora seja e será sempre difícil defeni-lo porque abrange muitos sentimentos.

Como já deves ter notado ao longo dos comentários não estou a atravessar um momento pleno na minha vida.

Obrigado pelas palavras de incentivo.


Estou numa fase de sofrimento porque não é difícil libertar os meus medos, as minhas dúvidas, os meus traumas...
Eu não sou uma coitadinha porque o que será então uma pessoa que está para sempre numa cadeira de rodas? Mas sou uma pessoa fechada no seu medo e a cada dia que passa tento vencer esta barreira interior. Não quero culpar as pessoas mas eu penso que as crianças deveriam ser privadas de tudo aquilo que as iria traumatizar no futuro...porque elas não escolheram sofrer e muitas vezes elas ficam com traumas que impedem uma vida saudável.
Uma criança que é violada nunca vai ser um adulto muito feliz.

Graças a Deus isso não me aconteceu mas será que o facto de ver o meu pai bater na minha mãe levou a que eu ficasse tão fechada para a vida? Pergunto todos os dias. Cheiguei a pedir para pararem, acordava com gritos da minha mãe...será que os meus pais achavam que eu era uma boneca de trapos que não via nem sentia? Quando se faz um filho é para ver cenas destas? E depois veio a minha prima com um caso semelhante. A vida às vezes massacra os fracos.

Mas eu vou vencer todos os meus traumas, toda esta fragilidade, todo o medo, esta baixa auto-estima. Eu tenho que lutar sei que não é fácil mas vou superar tudo o que tenho aqui dentro. Eu lutei tudo o que podia pelo curso e agora vou lutar por mim. Seria mais fácil com alguém a ajudar mas se não tiver vou superar esta angústia sozinha.

Eu não sou coitadinha...apenas fui alguém que viveu algumas coisas más e construí macaquinhos aqui dentro mas que vou superar.

Que possas também vencer todos os teus medos se tiveres alguns.

Estou a precisar de repensar a vida ...quem sabe daqui por uns dias volte.

Felicidades


De jpcfilho a 19 de Agosto de 2006 às 23:17
Querida Silvia, é com prazer que troco comentários contigo, e meus palpites se ajudam, melhor... Pois muitas coisas nós mesmos sabemos , e como vc mesma diz, é capaz de analisar o que a envolve... Outrossim, o grande lance é (penso), a gente se libertar do passado, das amarguras e mágoas, e como a vida é so uma e rapidinha que mal dá para nossos questionamentos, o melhor é ir em frente, desfazendo-se de pensamentos tristes que fazem muito ma, só fazem mall... E o amor não tem peias, melhor é vive-lo, e se não der certo, ninguém é culpado, lá depois encontramos outro amor, a vida continua e a fila anda, vamos nessa.... beijos e um belo fim de semana...
PS. E quem não arrisca, não petisca. Lembras?


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds