Segunda-feira, 28 de Agosto de 2006

A-moral


'The number of the Beast is 666' de William Blake
   "The number of the Beast is 666"  de William Blake   


Eu, ariano
de raça pura,
que discrimino,
por gosto,
negros, índios, ciganos
e troianos,
e outros inferiores,
soube, há pouco,
de fonte digna,
que não sou tanto
e que um paradigma
aproxima meu DNA
e de meus ancestrais
ao do porco.
Pasmo de nojo,
mas, de ventas altaneiras
e inteligência superior,
evito a lama,
mas não a moral,
na qual chafurdo...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 20:29
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Lu Rosario a 28 de Agosto de 2006 às 23:43
Sabe o que eu entendi deste texto? Não discrimines, pois vc pode ser um pouco pior do que eles comparado ao seu sistema de exclusão.
Poesia boa? Um dia chego lá... beijos!


De Lu Rosario a 28 de Agosto de 2006 às 23:48
Não sei se tenho errado muito, se errei foi por não ter permitido que o amor da pessoa que eu amo se prolongasse mais por mim..........errei em atitudes, em tudo e ele deixou de me amar.


De jpcfilho a 29 de Agosto de 2006 às 11:40
Lu, a vida passa a funcionar bem melhor depois que a gente dá umas erradinhas, e para quem presta atenção no serviço, daí pra frente a tendência é aprendermos... Tdo sucesso do mundo...beijos


De Silvia a 29 de Agosto de 2006 às 19:02
Obrigado:

- Pela paciência e pela dedicação a todos os meus mails que são tão chatos porque são tão somente desabafos e mais desabafos.

- Pelas palavras sempre cheias de coragem e apesar de eu em cada mensagem retroceder o que dizes tu voltas a reforçar sempre com persistência.

- Pela partilha da tua experiência de vida para comigo

- Por me falares do teu país e dares a conhecer o que eu já sabia

- Obrigado por me aturares tanto tempo e falares tantas vezes de amor talvez para ver se eu me tornava numa flor desabrochada

- Obrigado por seres meu amigo virtual e foste a 100% como um verdadeiro amigo deve ser.

E acabando o assunto do amor: quem ama acredita e nunca pode dizer não ao que sente. Eu é que ainda não encontrei alguém capaz de me amar como eu amei. E simplesmente:
Obrigado

Vou deixar este poeta descansar das minhas palavras mas voltarei quando menos se esperar

Muito obrigado

Ficou lindo não ficou?


De jpcfilho a 30 de Agosto de 2006 às 08:50
Olá Silvia, aonde vais, se ainda nem começamos a discutir? Briga boa tem ser duradoura, e ninguém está enchendo o saco de ninguém, pelo contrário, me sinto muito honrado com as visitas...Quanto a descansar, logo todos nós iremos, não tenhas dúvidas...beijos


De impressaodigital a 29 de Agosto de 2006 às 19:06
fantástico...
a descriminação, o racismo, a superioridade.... quando todos somos animais feitos da mesma matéria...


De jpcfilho a 30 de Agosto de 2006 às 08:54
Olá Impressãodigital, mas é fantástica mesmo a vida de nosotros, e vamos aprontando todas com nós mesmos...grande abraço


De gaivota da ria a 1 de Setembro de 2006 às 14:37
Desculpas-me o sorriso quando cheguei à palavra porco...não consegui evitar apesar de ter entendido o conteúdo do texto, e pronto cá andamos todos a chafurdar até regressarmos ao pó de onde saímos.


De jpcfilho a 2 de Setembro de 2006 às 09:20
Linda Gaivotinha, quanto tempo, de que desculpar minha querida, sempre serás benvida. Um belo fim de semana,,,beijos


Comentar post

.Ao som de:


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 15 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.Link em selo



.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds