Sexta-feira, 17 de Março de 2006

Uma lágrima


'Lamentation d'Orphée' de Alexandre Séon
                                         "Lamentation d'Orphée"  de Alexandre Séon


De repente, uma lágrima
cai em minha solidão,
salga-me a boca,
rola e vai ao chão
e some, sem saber
que, para nascer,
explodiu no peito,
não sei de que jeito,
para, depois, ir subindo
e dos olhos caindo
para o nada.
Mas, nessa madrugada,
muito fiquei sentindo.
Do passado?...
Não sei,
mas, de risível leveza,
um pedaço de mim
precipitando...


De: João Costa Filho



publicado por jpcfilho às 21:19
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Anónimo a 21 de Março de 2006 às 08:35
Só uma "princezinha" para tão belas palavras, muito obrigado, e volte...tudo de bom...espelhodesombras
</a>
(mailto:jpcfilho@sapo.pt)


De Anónimo a 20 de Março de 2006 às 22:07
Bem tou sem palavras estes poemas quase que me deixam com lagrimas nos olhos são o maximo curto bue!!!!!princezinha
</a>
(mailto:sofia.alb.silva@mail.pt)


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Ficastes

. Quase ontem

. Denúncia

. ADEUS, AMIGO

. ...

. Bendito fruto

. ...

. Amor animal

. Interiores

. A partida

.tags

. todas as tags

.pesquisar

 

.subscrever feeds